Artigos - Visualizando artigo

Cruzamento de dados - eSOCIAL

Atualmente, a Receita Federal encontra uma diferença de R$ 4 bilhões entre as informações apuradas e declaradas no Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social (GFIP) em 2012. Só isso já seria motivo suficiente para a Receita buscar novas formas de identificar erros e fraudes. Para isso, as informações do eSocial deverão se juntar às já coletadas pela Receita Federal. Segundo o órgão, haverá sincronismo das informações, reduzindo fraudes, trabalho informal, sonegação tributária e previdenciária. ?Para o Fisco e para o FGTS, haverá um espaço muito menor para a fraude e evasão fiscal, para o trabalhador será a garantia de que seus direitos não serão frustrados quando em decorrência da ausência ou precariedade da informação prestada pelo seu empregador?, informou a Receita Federal em nota oficial. Para Leonardo de Albuquerque, gerente jurídico da ProPay, essa era uma mudança que ?tinha de acontecer?. ?Desde o começo da implantação do Sped, a evolução de arrecadação da Receita foi significativa?, afirma. No entanto, a extensão do prazo para não é descartada pelo advogado. ?Não me surpreenderei se houver prorrogação da data da entrega. Em mudanças drásticas, como no caso do ponto eletrônico, o aumento do prazo acaba se fazendo necessário.? As informações estarão disponíveis para os trabalhadores que poderão acompanhar de perto o status de suas contribuições ? bem como dos depósitos feitos pela empresa. Para o empregador, segundo informa a Receita, servirá como um grande backup dos registros que as empresas precisam manter, eliminando toda a necessidade de se manter arquivos em papel por 30 anos.

Voltar


Compartilhar

Todos os direitos reservados ao(s) autor(es) do artigo.